« Home | Homenagem a Walter da Silveira » | Perdidos na Noite » | E aí irmão? » | Hora de Rock! » | Betty Blue » | olho no olho » | Fengkov » | Caó » | Oxiúrus alive! » | Folhas sagradas »

Acerca de la vida

SOBRE A VIDA
Ignácio Ceruti, Acerca de la vida, Cuba, 2003
(Cor, 11 min)

Poesia do silêncio

Sem diálogos ou trilha sonora, Ceruti usa somente imagens e ruídos e faz um filme sobre a fragilidade humana de dentro de um cemitério, criando poesia já com o título, "Sobre a vida".

Logo após alguns minutos de filme onde tínhamos imagens do concreto de lápides e corredores de um cemitério, começamos a acompanhar o processo de exumação e a colocação de cadáveres em caixotes numerados. Cadáveres porque os ossos eram retirados das tumbas ainda com um pouco de pele, pelos e roupas. Para que entrassem nos caixotes era necessário que os restos mortais fossem esquartejados, assim acompanhamos todo o processo, o que resulta em imagens de uma força visual tremenda, como se cada quadro nos martelasse, demonstrando como somos seres frágeis, perecíveis, escondidos nas carapuças(concreto) que nos cabem.

Um forte exemplo de como a imagem por si só já diz muito, um trabalho cuidadoso do diretor de fotografia Matheus Rocha, com planos fixos e marcantes, de composições admiráveis, aliado a um desenho de som minimalista, criado por Shinya Kitamura, onde o silêncio e o som do arrastar de caixões é predominante. Um trabalho curto e intimista que faz muito barulho em nossa cabeça mesmo não tendo quase som algum.

"Sobre a vida", no cemitério, me lembra o último Coutinho: O Fim e O Princípio, "protagonizado" por vários idosos. Escrevi um textinho sobre esse filme e publiquei lá no blog, não sei se vc viu...

Você PRECISA (veja que eu não disse deveria...) ouvir You Have Killed Me, música do disco novo de Morrissey, Ringleader of The Tormentors. Eu não consigo parar de ouvir essa música, durmo e acordo com ela na cabeça. Hit absoluto, desde a primeira vez que se ouve. Uma das melhores coisas de Morrissey que eu conheço, digna dos tempos áureos dos Smiths. Procure. Agora, se puder. Depois me diga.

Ouviu a música? Postei uns links de umas coisas lá que podem te interessar. Cat Power cantando Je t'aime, de Serge Gainsbourg. rsrsrsrs
é sério!!

Tenho o Espelho Partido, qd quiser é só falar. Excelente.

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Quem

Cesar Fernando de Oliveira

Mais um astronauta no Chipre

My profile

Sobre

Cinema e palavras vagando na rede...

previous posts

Google
 
Web URL DO SEU SITE
online